Obras do trecho leste do Rodoanel têm início em SP

Obras do trecho leste do Rodoanel têm início em SP

Extensão do trecho será de 43,5 km e previsão de conclusão é de 30 meses. No total, a obra custará R$ 5,2 bilhões

Ford coloca caminhões de volta no foco de negócios
Atendimento ao Trânsito de Santo André (SP) ganha nova frota de motocicletas
MRS Logística vai construir terminal intermodal em Mauá, no ABC paulista

O trecho leste do Rodoanel Mario Covas (SP 021) começou a ser construído. Na manhã de quarta-feira (17), o governador do estado de São Paulo Geraldo Alckmin inaugurou as obras no município de Mauá. A construção dos 43,5 quilômetros de rodovia deve demorar 30 meses, ficando pronta em março de 2014, e irá movimentar 30 milhões de toneladas de terra.

Com custo total de R$ 5,2 bilhões, a nova rodovia ligará as cidades de Mauá, Ribeirão Pires, Suzano, Poa, Itaquaquecetuba, Arujá e Guarulhos. Do montante, R$ 2,8 bilhões serão aplicados diretamente na construção. Os outros R$ 2,4 bilhões serão investidos na operação, conservação e obras de ampliação dos trechos sul e leste ao longo dos próximos 35 anos.

De acordo com Alckmin, o estado não terá nenhum gasto com as novas estradas de rodagem. Todo o custo do projeto, assim como da manutenção das vias, será de responsabilidade da concessionária. “O Governo não vai pagar nenhum centavo. A concessionária é a responsável por todas as desapropriações, reassentamentos, projetos ambientais, carros para a polícia rodoviária,  telefones, câmeras de vídeo e postos para atendimento dos usuários”, explicou o governador.

O governador Geraldo Alckmin deu início simbólico às obras manejando uma escavadeira

Quando totalmente finalizado, o Rodoanel Mario Covas conectará as mais importantes vias que chegam à capital paulista, desafogando o trânsito da metrópole. “Essa é uma obra estruturante que interliga as dez autoestradas que chegam a São Paulo: Bandeirantes, Anhanguera, Castelo Branco, Raposo Tavares e Régis Bittencourt com a asa oeste. Imigrantes e Anchieta, Papa João XXIII e Mauá com a asa sul. Com a leste, que está começando hoje, nós chegaremos à SP-66, Ayrton Senna/Carvalho Pinto e Dutra. Aí, com a asa norte, chegaremos à Fernão Dias”, detalha.

A tarifa básica de pedágio a ser cobrada no trecho leste já foi estabelecida em R$ 1,70.

Saúde

Com a retirada dos veículos pesados das áreas urbanas da capital paulista e arredores, estima-se que a qualidade de vida dos moradores vizinhos a importantes vias sofra uma melhora significativa. “O novo trecho vai ajudar muito no cuidado com a saúde. Ele vai tirar o transporte pesado das vias das cidades, o que corresponde a 70% dos veículos que circulam pela região”, explica.

No total, estima-se que, quando estiver concluído, 24 mil veículos passem diariamente pelo trecho leste do anel viário.

Emprego

Para a realização da obra, serão gerados 3,5 mil novos empregos diretos e, de acordo com o governador Geraldo Alkmin, quase todos os profissionais serão selecionados nas áreas por onde a rodovia irá passar. “Noventa por cento dos contratados serão da região”, esclarece.

Nessa etapa inicial, as peças pré-moldadas, como as vigas e outras de concreto usinado, serão produzidas no próprio canteiro de obras. Serão necessárias mais de 12 mil vigas para a implantação de 16,8 quilômetros de pontes e viadutos. O trecho terá ainda um quilômetro de túnel.

Traçado

Clique na imagem abaixo para visualizar o traçado do trecho leste:

COMMENTS