American Airlines confirma maior pedido da aviação mundial: US$ 40 bi

American Airlines confirma maior pedido da aviação mundial: US$ 40 bi

Empresa confirmou pedido para 460 aeronaves da Boeing e Airbus. No Brasil, demanda por viagens continua em forte alta

ANAC fiscaliza seis aeroportos de São Paulo e encontra mais de 90 aeronaves irregulares
Operação Voe Seguro fiscaliza mais de 140 aeronaves no Amazonas e no Pará
Após 2 anos, Avianca conclui renovação total da frota de aeronaves

Enquanto as empresas aéreas brasileiras estão brigando pela liderança de um mercado em franco crescimento, a American Airlines apresentou o maior pedido da história da aviação civil mundial. A companhia norte-americana confirmou dois pedidos, um com a sua conterrânea Boeing para a aquisição firme de 200 aeronaves com opção de mais 100 unidades, e outro com a europeia Airbus para mais 260 aviões. O total do negócio: US$ 40 bilhões para modernizar uma parte de sua frota.

No caso da Boeing o acordo será para a aquisição de uma centena de aparelhos do modelo 737 Next Generation com a opção de mais 40 unidades, e outros 100 aviões do mesmo modelo, que serão equipados com os novos motores que economizarão cerca de 15% de combustível, comparado aos atuais níveis de consumo. Nessa modalidade, as opções somam mais 60 aeronaves.

De acordo com a Boeing, a AA possui atualmente mais de 600 aeronaves da marca e mais 64 pedidos, excluindo o anunciado na semana passada. A esse acordo, explica a fabricante norte-americana, se somam os 51 pedidos do modelo 737-800, 7 do 777-200ER, 6 da versão 777-300ER, além de uma intenção de compra de até 58 unidades do novo 787-900 Dreamliner.

Já no caso da concorrente europeia, a Airbus, o pedido firme foi ainda maior. A companhia aérea provou sua capacidade de renovação de frota e força no mercado mundial ao fechar um acordo para a compra de 260 aeronaves dos modelos A319, A320 e A321. O que levará a empresa a se tornar a maior operadora dessa família de aeronaves no mundo.

Brasil

Enquanto isso, por aqui, outro grande mercado para as duas companhias, a demanda continua a crescer.  De acordo com o balanço mensal da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) a procura por voos no mercado aéreo doméstico brasileiro aumentou 19,54% em junho de 2011, em comparação ao mesmo mês do ano passado. Em relação à oferta, o crescimento foi de 12,48%. Assim, a taxa de ocupação chegou a 68,10%, contra 64,09% em junho de 2010.

O grupo TAM (que compreende TAM e Pantanal) manteve a liderança do setor, com 41,68%, enquanto a Gol/Varig responde por 37,13% do mercado doméstico em junho. Enquanto isso, as demais empresas do setor aéreo brasileiro ampliaram sua participação, de 17,57% em junho de 2010 para 21,19% no mesmo mês deste ano – a Azul tem 8,61%, a Webjet , 5,51%, a Trip possui 3,24% e a Avianca, 2,94%.

Apesar de a Gol anunciar a aquisição da Webjet, o negócio ainda não foi confirmado. Porém, se for considerada a participação das duas juntas, o ranking muda e a companhia dos Constantinos se torna a líder de mercado com 42,64%, portanto, pouco menos de 1% a mais que a empresa fundada pelo Comandante Rolim Amaro.

Se a análise englobar as rotas internacionais operadas por empresas brasileiras, a TAM situa-se muito à frente, a empresa ampliou a liderança no setor e chegou a 90,57% do mercado. A Gol/Varig possui 8,18% e a Avianca 1,25%. Nesse mercado, a Anac registrou crescimento de 7,72% na demanda, em relação a junho do ano passado. A oferta de assentos aumentou 4,92%. A taxa de ocupação chegou à marca de 77,66%.

COMMENTS