Pedágio mais caro em SP a partir de julho

Pedágio mais caro em SP a partir de julho

Em algumas praças, tarifa terá 9,77% de acréscimo; valores serão arredondados de R$ 0,10 em R$ 0,10

ARTESP monitorará 6,3 mil quilômetros de rodovias em tempo real e online
ARTESP firma acordo com o governo do PR para fornecer tecnologia de pagamento eletrônico de pedágio
Trecho Leste do Rodoanel (SP-21) é inaugurado

Os pedágios das rodovias do Estado de São Paulo sofrerão reajustes no dia 1º de julho, alguns chegando a 9,77% de acréscimo. Além disso, os valores serão arredondados de R$ 0,10 em R$ 0,10. No ano passado, o padrão de aproximação foi R$ 0,05.

O aumento corresponde aos índices dos contratos de concessão assinados.  Para as concessões mais antigas, como é o caso da rodovia Castelo Branco e dos Sistemas Anchieta-Imigrantes e Anhanguera-Bandeirantes, os números serão corrigidos pelo IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado), da Fundação Getúlio Vargas.

Para as rodovias que tiveram os contratos assinados tendo como referência de correção o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), um indicador mensal de preços do varejo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o reajuste chegará a 6,55%. Rodovias como a Dom Pedro, a Carvalho Pinto, a Raposo e o Rodoanel utilizam este procedimento.

Além das regras do índice de reajuste ao valor vigente, a Artesp (Agência Reguladora dos Serviços de Transportes de São Paulo) faz as contas levando em consideração também o tipo de pista (duplicada ou simples) e a extensão percorrida para ter o cálculo final do valor do pedágio de cada praça.

Confira aqui o preço reajustado de todas as praças de pedágio do Estado.

Com informações do Estado de São Paulo

COMMENTS