Brasil deverá colher mais de 150 milhões de toneladas de grãos em 2011

Previsão de recorde divulgada pela CONAB (Companhia Nacional de Abastecimento) aponta que volume será aproximadamente 3,4% maior que a safra passada

Produção de safra 2012/2013 de grãos cresce 10,8%, segundo Conab
Produção nacional de soja da safra 2014-2015 alcança marca de 96,2 milhões de toneladas
Juros da linha de financiamento do Moderfrota terão taxas reajustadas

Pesquisa realizada por 68 técnicos da CONAB (Companhia Nacional de Abastecimento) divulgou nova previsão de recorde para a safra de grãos 2010/2011. Com o resultado esperado, o País deverá colher cerca de 154,2 milhões de toneladas de grão neste ano.

O volume representa um aumento de 3,4%, o que resulta em aproximadamente 5 milhões de toneladas a mais que a safra passada.

De acordo com informações da CONAB, o crescimento se dá devido à expansão de áreas de cultivo do algodão, do feijão 1ª e 2ª safras, da soja e do arroz, aliada à boa influência do clima no desenvolvimento das culturas.

O algodão apresenta o maior crescimento, com cerca de 56% a mais que no ano passado (835,7 mil ha), resultado que pode chegar a uma produção de 1,9 milhão de toneladas de pluma, ou seja, 756 mil toneladas a mais que na safra passada.

A área do feijão total deve crescer 7,7%, chegando a 3,9 milhões de hectares. Comparada à safra passada, a produção aumentou 11,8%, e pode alcançar 3,7 milhões de toneladas.

A área com soja teve expansão de 2,4%, alcançando 24 milhões de hectares. A produção cresceu 2,3%, chegando a 70,3 milhões de toneladas.

O aumento da área do plantio de arroz foi de 3,7%, chegando a 2,9 milhões de hectares. A produção deve apresentar um acréscimo de 12,6%, o que representa 13,1 milhões de toneladas a mais em relação à safra anterior.

No milho total, a produção estimada é de 55 milhões de toneladas, 1,7% a menos que na safra passada, que atingiu 56 milhões de toneladas.

A pesquisa foi realizada no período de 21 a 24 de fevereiro, e foram ouvidos representantes de cooperativas e sindicatos rurais, de órgãos públicos e privados das regiões do Brasil.

COMMENTS