Imposto sobre produtos se mantém estável em relação ao último Natal

Apesar do recorde de arrecadação do ano de 2010, incidência tributária tem estabilidade. Perfume importado, jogos eletrônicos e motocicletas lideram ranking de tributação

Déficit comercial de autopeças do Brasil chega a US$ 4,3 bi
Marcopolo fecha 2010 com crescimento de 42,3% na produção
No dia das crianças, eletrônicos apresentam maiores tributos

Mesmo com o recorde em arrecadação de tributos de 2010, os impostos sobre produtos natalinos não sofreram alterações em comparação ao ano passado. O IBPT estima que a arrecadação este ano seja R$ 18 bilhões maior que em 2009, mas explica que a estabilidade na carga tributária foi possível porque não houve aumento nem diminuição dos impostos neste período.

Entre os produtos com maior taxa de tributação estão perfume importado (com 78,43% de impostos), jogos eletrônicos (72,18%), perfume nacional (72,18%), motocicleta acima de 250 cc (64,65%) e uísque (61,22%).

O presidente do IBPT, João Eloi Olenike, explica que a tributação de importados é maior. “Além de eles terem todos os tributos incidentes dos produtos nacionais, ainda estão embutidos o imposto de importação”, justifica.

Alguns alimentos da cesta natalina também aparecem entre itens com alta carga tributária: espumantes estão no topo com 59,49%; em seguida o bacalhau importado, com 43,78%; as nozes com 36,45%; o panetone com 34,63%; e o chester, peru e pernil com 29,32%.

Entre os presentes natalinos, os eletrônicos apresentam maiores impostos, como jogos eletrônicos, iPods, televisores, telefones celulares, laptops e microcomputadores. “Nesses produtos a quantidade de tributos  federais é maior que a dos estaduais e municipais, mas o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços – ICMS, um tributo estadual, é um dos que mais incide sobre o valor final dos produtos, podendo alcançar uma alíquota de 25%”, completa o presidente.

Confira abaixo a tabela de tributação nos produtos mais vendidos no Natal:

COMMENTS