Obras de malha ferroviária estão atrasadas em SC

A construção de quatro ferrovias no Estado, prevista no PAC, está fora do prazo em mais de um ano

Brasília será a primeira cidade da América Latina a ter um sistema de Veículos Leves Sobre Trilhos
Alfredo Nascimento toma posse do Ministério dos Transportes pela terceira vez
Terminal de Contêineres de Paranaguá (PR) fortalece operações envolvendo modal ferroviário

Apesar da urgência, a construção de quatro ferrovias em Santa Catarina, incluídas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), segue atrasada. As obras dos contornos férreos em Joinville e São Francisco do Sul iniciaram quando já deveriam estar prontas. O projeto das ferrovias Litorânea e Leste-Oeste também estão fora do primeiro prazo estipulado pelo governo federal.

A malha ferroviária facilitará o escoamento da produção agrícola e industrial no Estado, principalmente a linha férrea Leste-Oeste, também conhecida como Ferrovia do Frango, pelo potencial em escoar o produto mais exportado de Santa Catarina. Apesar da importância, o último balanço do PAC classificou a obra como “prioridade muito baixa”.

A licitação para o desenvolvimento executivo do projeto está prevista para o próximo mês, um ano após o primeiro prazo de lançamento – setembro de 2009. A ampliação da linha até Dionísio Cerqueira, em uma ligação direta com a Argentina também foi anunciada há um ano, mas seu edital de licitação foi lançado há apenas dez dias. O Departamento Nacional de Infraestrutura (Dnit) explicou que a demora ocorreu devido à ampliação do projeto.

Já a Ferrovia Litorânea deveria entrar em operação em 2011, mas o edital de licitação, que deveria ser divulgado em 2007, ainda não foi concluído. A previsão de lançamento para dezembro deste ano foi adiada novamente para maio. O Dnit esclarece que o prazo ainda pode ser prorrogado se houver necessidade de aprimoramento de estudos. A partir do lançamento, estima-se mais três anos para execução da obra.

Por Marília Brandão – Redação Portal Transporta Brasil, com informações do Diário Catarinense

COMMENTS