Começamos a pensar na Logística para 2014?

Quando o juiz apitou a final do grande jogo entre Holanda e Espanha, nós brasileiros ficamos tristes, por não conseguirmos, mais uma vez, ver nossa seleção chegando ao pódio. O hexa agora é projeto para 2014

Absenteísmo ou presenteísmo: qual impacta mais?
Cegueira corporativa
Uma análise sobre o ERP no segmento de Transportes

Quando o juiz apitou a final do grande jogo entre Holanda e Espanha, nós brasileiros ficamos tristes, por não conseguirmos, mais uma vez, ver nossa seleção chegando ao pódio. O hexa agora é projeto para 2014.

No país do futebol, realizar uma copa do mundo depois de tanto tempo, é um grande sonho, mas também um grande desafio. Diversas entrevistas de nossos dirigentes maiores (da esfera esportiva e política) destacam a renovação da seleção, festa, alegria, sustentabilidade, transparência nos gastos  … mas penso que além destes ingredientes, que são muito importantes, devemos pensar no grande desafio logístico de um evento desta magnitude.

Temos que pensar, organizar, planejar e executar com maestria, ações relacionadas a infraestrutura necessária para receber a grande quantidade de pessoas e equipamentos que, vem assistir e trabalhar em uma copa do mundo.

Além dos estádios que precisam atender as normas da FIFA, temos que pensar nos Aeroportos, Rodoviárias, Portos, Hotéis, Transporte de Carga e de Passageiros, pois como sabemos o fluxo de pessoas e equipamentos antes e durante a copa do mundo é gigante.

  • Precisamos pensar em como as pessoas se deslocarão até o estádios. Temos transporte público suficiente e de qualidade para fazer o transporte de grandes massas?
  • Precisamos pensar em uma boa informação para os visitantes. Hoje quando um visitante desembarca no porto, aeroporto ou na rodoviária temos um bom sistema de informação para ele?
  • Precisamos pensar no trânsito no entorno dos estádios. Hoje, grande parte dos nossos estádios é encravado no meio de um bairro residencial. Podemos citar o Maracanã no Rio de Janeiro, que em dias de grandes clássicos regionais já gera um grande transtorno as escolas, hospitais e moradores devido a grande quantidade de pessoas que chegam e saem do estádio. Como estaremos planejando os corredores para chegada e saída dos torcedores? E os moradores, hospitais, universidades e escolas que ficam sediadas no entorno do estádio, como chegaremos e sairemos destes locais em dias de jogos?
  • Precisamos pensar no deslocamento entre as cidades onde teremos jogos. Normalmente no Brasil fazemos muitos trajetos de avião. Nossos aeroportos estarão preparados para o grande aumento de pessoas viajando? Fico imaginando a ponte aérea Rio – São Paulo em uma segunda-feira pela manhã.
  • Precisamos pensar nas questões hoteleiras e turísticas, pois muitos profissionais e torcedores que vem para a Copa do Mundo, precisam se hospedar, se alimentar e aproveitam para conhecer as cidades. Teremos programas especiais para que os turistas (que serão em grande número) visitem os principais pontos turísticos das cidades onde estarão hospedados?
  • Precisamos pensar nas questões de segurança para todo este grande contingente que as cidades reeceberão;
  • Precisamos pensar no que fazer com as construções após a copa do mundo para não ficarmos com um elefante verde e amarelo em cada cidade sem possibilidade de uso pela população após o evento.

Bem, como podemos ver, não é só preparar nossos craques para tentarmos o Hexa em 2014.

Além de torcedores, precisamos pensar e atuar como gestores logísticos de um grande evento em que teremos participantes de diversas nacionalidades. Nossa organização estará sendo propagando a imagem de nosso país para todo o mundo.

Logo é preciso se preparar para o grande fluxo de materiais,  informações e pessoas que a copa de 2014 trará para nosso País.

Acredito que reunimos profissionais qualificados para realização da copa do mundo com sucesso. No entanto, precisamos que estes profissionais dediquem um tempo a reflexão das questões logísticas deste evento.

Rumo ao Hexa !!!

Hélio Meirim, executivo de Logística com atuação em empresas nacionais e multinacionais tendo desenvolvido projetos no Brasil e no Exterior. Mestre em Administração com MBA em Marketing, Logística, Análise de Sistemas e Docência Superior. Professor universitário em cursos de MBA, pós-graduação e graduação e colunista de diversos periódicos de logística.

COMMENTS