Agência Nacional de Transportes Terrestres discute regulamentação de cartão-frete

Diretores do SETCERGS, da ABTI e da ANTT se reúnem para debater o novo sistema de pagamento

Justiça gaúcha considera legal o pagamento eletrônico de fretes
ANTT quer trem de carga e passageiros entre Brasília e Goiânia
Governo quer restringir emissão do RNTRC

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) em parceria com o SETCERGS e a ABTI querem promover uma audiência pública a respeito do novo cartão-frete. O recurso substituiria a antiga carta-frete, proibida por lei federal desde junho deste ano.

Noboru Ofugi, diretor da ANTT debateu o assunto com o assessor da Superintendência Executiva, Marcelo Prado e diretores do SETCERGS e da ABTI.

Noboru comprometeu-se a promover rodadas de negociações na Região Sul antes de colocar o assunto em audiência pública. “A carta-frete está sepultada, o que vale agora é o novo cartão- frete, que ainda depende de regulamentação”, explica.

O presidente do SETCERGS, José Carlos Silvano, explica que o assunto é delicado, uma vez que a carta-frete era utilizada tanto por empresas como por autônomos.

Marcelo Prado, assessor do Sindicato, esclareceu que ficou estabelecido que o movimento financeiro da atividade do transporte deve passar por um controle. “A tarefa da ANTT foi organizar essa mudança. Agora temos que decidir que meio de pagamento a lei deve regulamentar. Temos que criar mecanismos para facilitar a vida do transportador de carga, ao mesmo tempo, não podemos perder o controle das operações financeiras”, afirma o assessor.

Por Marília Brandão – Redação Portal Transporta Brasil

COMMENTS