Paraguai busca financiamento para ligação de malha ferroviária com Porto de Paranaguá (PR)

País sem saída para o mar procura alternativas para a realização do projeto, entidades envolvidas discutem viabilização em evento

Governador do Paraná veta projeto de criação da Ferrosul
Ferroeste recebe do DNIT 150 toneladas de peças e equipamentos de reposição para locomotivas
Ferroeste recebe doação de vagões do Departamento Nacional de Infraestrutura

Durante a Expo Santa Rita, evento realizado no Paraguai, o presidente da Ferroeste (Estrada de Ferro Paraná Oeste S/A), Samuel Gomes, e a presidente da Unicoop (União Nacional das Cooperativas do Paraguai), Simona Cavazzuti, reuniram-se com o vice-ministro da Indústria do Paraguai, Cantalicio Salvador Invernizzi, para discutir sobre o andamento do projeto de ligação da ferroviária do país vizinho com o Porto de Paranaguá (PR). O projeto prevê a construção do ramal Cascavel-Foz do Iguaçu, de 170 km, e a ponte sobre o rio Paraná.

Salvador afirmou nesta segunda-feira (17) que a ferrovia seria uma solução para o desenvolvimento do país. “Estamos dispostos a viabilizar essa ponte ferroviária, e temos feito algumas reuniões com colegas do governo para discutir e fazer ver a necessidade de levar adiante o tema da ferrovia”, disse o vice-ministro. “Estamos procurando financiamento e já tivemos contato com o BNDES para discutir investimentos na construção de estradas, pontes e ferrovias no Paraguai”, acrescentou.

A presidente da Unicoop, Simnona Cavazzuti, acredita que a recente adesão dos ministérios da Indústria e de Obras Públicas de seu país reforçará o projeto da ferrovia e fará com que ele avance mais. “O setor produtivo do Paraguai, país sem saída para o mar, apoia em 100% a construção da ferrovia”, disse Cavazzuti.

Paranaguá-Antofagasta

O projeto do corredor ferroviário Paranaguá-Antofagasta, criado pelos governos do Brasil, Paraguai, Argentina e Chile, prevê a construção de um ramal da Ferroeste de Cascavel a Foz do Iguaçu e Puerto Presidente Franco, primeiro módulo do projeto ferroviário que está em pauta com o governo paraguaio. A ferrovia seguirá para Santa Rita-Encarnación-Pilar, território paraguaio, fazendo conexão com o sistema ferroviário argentino em Posadas e Resistencia e chegando até os portos chilenos. “Vamos batalhar para que a ferrovia saia”, disse Simona Cavazzuti, “não podemos ficar de fora, porque é uma obra muito importante para o Paraguai e não podemos perder essa oportunidade”.

Por: Victor José – Redação Portal Transporta Brasil

COMMENTS