Escoamento da safra preocupa

Representante do Ministério da Agricultura afirma que carregamento de grãos armazenados pode dificultar o apoio à comercialização dos estoques

QLL Logística investe em nova ferramenta de gestão de armazéns
Terminal intermodal em Esteio (RS) oferece vantagens logísticas
Ipem certifica sistema de armazenagem de grãos da Ceagesp na cidade de São Paulo

O aumento dos estoques públicos de grãos e a preocupação com a comercialização da nova safra concentraram as discussões no segundo dia da programação do Ciclo de Palestras RPC – Ocepar, que acontece durante o Show Rural, em Cascavel. No encontro, o diretor de Comercialização e Abastecimento do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), José Maria dos Anjos, disse que o carregamento de estoques pode dificultar o apoio à comercialização da safra que está sendo colhida e afirmou que o governo já estuda maneiras de contornar o problema.

Segundo ele, a realização de leilões de Prêmio de Escoamento de Produto (PEP) seria a opção mais indicada. Nessa modalidade, o comprador paga ao produtor o preço mínimo e o governo banca a diferença entre o valor de garantia e o praticado pelo mercado. A vantagem é que esse tipo de operação dispensa os gastos com armazenagem, já que os grãos saem direto da mão do produtor para a trading ou cerealista.

No Paraná, cerca de 1,5 milhão de toneladas de milho e 500 mil toneladas de trigo devem precisar de auxílio do governo caso os preços permaneçam abaixo do mínimo na safra atual, conforme estimativa da Ocepar. “No curto prazo será impossível a recuperação do preço do milho”, antecipou no dia anterior o analista da MB Associados Alexandre Mendonça de Barros em sua apresentação no Ciclo de Palestras RPC –Ocepar.

“O milho vai ser o produto que vai nos dar mais dor de cabeça. Mesmo em baixa, o preço interno está acima da paridade de importação”, confirmou José Maria. No ano passado, o governo apoiou a venda de 10,5 milhões de toneladas do cereal.

Mais da metade desse volume (5,4 milhões de toneladas) foram parar nos armazéns estatais, que agora não têm espaço para receber o produto novo.

A maior parte do milho estocado foi retirada do mercado mato-grossense. O estado recebeu apoio do governo para escoar quase 7 milhões de toneladas, sendo que 3 milhões de toneladas ainda estão em armazenadas. O volume apoiado pelo governo em Mato Grosso é quase equivalente à produção de milho de inverno do estado, que somou recordes 7,6 milhões de toneladas em 2009 e é superior à produção paranaense na safrinha passada, que rendeu 4,6 milhões de toneladas.

Além do milho, os silos públicos também estão cheios de trigo. São 675 mil toneladas no país, sendo 207 mil no Paraná. No total nacional, o governo carrega estoques de mais de 6 milhões de toneladas de milho e trigo.

Ciclo de Palestras

Quase 300 pessoas participaram do ciclo de palestras “Informação e Análise do Agronegócio”, uma promoção conjunta da Rede Paranaense de Comunicação (RPC) e a Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar), dentro da programação do Show Rural Coopavel, que prossegue até amanhã em Cascavel, Oeste do Paraná. As palestras foram realizadas na terça e quarta, em duas sessões diárias. A última apresentação ocorre hoje, às 10 horas. Nos três primeiros dias, o Show Rural recebeu quase 80 mil visitantes. A maioria é de produtores rurais em busca de novas tecnologias agrícolas.

Link para a matéria original

COMMENTS