Projetos para portos devem atrair US$ 20 bi em investimentos privados, diz ministro

Obras do Programa Nacional de Dragagem, que permitirão o ancoramento de navios de grande porte, e a desburocratização a partir da implantação, em abril, do Programa Porto Sem Papel vão baratear os custos de frete

De Lucas para Santos
Azul prepara a decolagem
Transporte de cargas tem queda de 10%

Os projetos que o governo está desenvolvendo para melhoria dos principais portos brasileiros deverão favorecer a atração, nos próximos cinco anos, de investimentos privados no setor portuário de até US$ 20 bilhões, segundo estimativa do secretário especial de Portos (SEP), da Presidência da República, ministro Pedro Brito.

Ele afirmou que as obras do Programa Nacional de Dragagem, que permitirão o ancoramento de navios de grande porte, e a desburocratização a partir da implantação, em abril, do Programa Porto Sem Papel vão baratear os custos de frete, com reflexo nos preços dos produtos importados e também dos produtos que serão exportados.

Como a Agência Brasil adiantou ontem (13) vão ser aplicados nos próximos anos cerca de R$ 700 milhões nos portos das sete cidades brasileiras que vão sediar jogos (da Copa do Mundo e das Olimpíadas) nos próximos anos. O objetivo é facilitar o ancoramento de transatlânticos no Rio de Janeiro, em Fortaleza, Salvador, Santos, Recife, Natal e Manaus.

Brito destacou que esses investimentos têm foco nos eventos esportivos que serão realizados no país e inclui logística para recepção de visitantes. As novas instalações vão ainda dar agilidade ao transporte de cargas, com impacto sobre a balança comercial brasileira, disse o ministro.

O Rio de Janeiro deverá receber R$ 300 milhões do total de R$ 700 milhões que serão investidos nas sete cidades portuárias sede dos jogos. As obras vão começar a ser licitadas este ano e todas deverão estar concluídas até 2012. O ministro disse que haverá maior demora na conclusão das obras no Rio de Janeiro, pois serão construídos três novos piers de atracação para grandes navios.

Link para a matéria original

COMMENTS