Governo cria incentivos para a compra de caminhões para agricultores familiares por meio do Pronaf

Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar abre linha de financiamento para fomentar a compra de veículos de cargas com capacidade de 1,5 a 8 toneladas. No programa, os caminhões terão descontos de 5% a 15% em relação aos preços de mercado

Produtores nordestinos de cana pedem continuidade da subvenção ao etanol
Minas Gerais prevê safra recorde de 13,8 milhões de toneladas de grãos para 2017
Juros da linha de financiamento do Moderfrota terão taxas reajustadas

O Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar, do governo federal, iniciou na semana passada a concessão de uma linha de financiamento para incentivar a compra de caminhões para agricultores familiares. Segundo informações do Pronaf, o programa oferece a compra de 15 modelos de caminhões com capacidade de carga entre 1,5 e 8 toneladas, com descontos entre 5% e 15% em relação aos preços de mercado.

O plano de fomento à aquisição de veículos prevê apenas a compra do chassi, mas os implementos (carrocerias, baús, etc.) também podem ser financiados por meio do programa Mais Alimentos.

Os valores correspondem apenas ao chassi do caminhão. A carroceria (aberta, graneleira, baú, de grade) escolhida pelo agricultor familiar também será financiada pelo Mais Alimentos. Os veículos que participam do programa são das marcas Volkswagen (MAN Latin America), Iveco e Agrale.

Confira as especificações técnicas e os modelos disponíveis:

O financiamento de veículos de carga, que inclui caminhões frigoríficos, isotérmicos e graneleiros, por meio do Mais Alimentos foi aprovado pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) em 26 de novembro de 2009. As condições são as mesmas dos demais produtos atendidos pelo Programa. O primeiro passo para o agricultor familiar acessar o financiamento é procurar uma empresa de assistência técnica e extensão rural, que vai verificar e avalizar a viabilidade do projeto que será desenvolvido.

Por: Leonardo Helou Doca de Andrade – Redação Portal Transporta Brasil

COMMENTS