Presidente da Codesp prevê mais R$ 5 bi para o Porto de Santos

Serão destinados cerca de R$ 36,7 milhões à Avenida Perimetral da Margem Direita (Santos), R$ 30,0 milhões à Avenida Perimetral da Margem Esquerda (Guarujá) e R$ 11,8 milhões ao sistema de segurança do Porto (ISPS Code)

Anfavea aponta redução no ritmo de vendas de veículos em agosto
EcoSport chega aos 500 mil e serve de lição para driblar crise
Setor de “courier” deve dobrar no país

O presidente da Companhia das Docas do Estado de São Paulo (Codesp), José Roberto Correia Serra, afirmou ontem no 4º Fórum de Comércio Exterior, que termina hoje, em Santos, que serão investidos cerca de R$ 5 bilhões no porto, até 2013, entre investimentos públicos e privados. Inicialmente do governo federal, o Porto de Santos receberá um novo investimento no valor de R$ 78,5 milhões, para a readequação dos perimetrais de acessos rodoviários e a construção de um novo viaduto.

Serão destinados cerca de R$ 36,7 milhões à Avenida Perimetral da Margem Direita (Santos), R$ 30,0 milhões à Avenida Perimetral da Margem Esquerda (Guarujá) e R$ 11,8 milhões ao sistema de segurança do Porto (ISPS Code). Sobre a perspectiva de aportes de R$ 5 bilhões, Serra afirma que isso vai oferecer a infraestrutura necessária ao Porto, não só em acessos marítimos, mas de acessos terrestres.

“Os terminais estão se habilitando para tal e a oferta de infraestrutura vai atender à demanda dos próximos 10, 15 anos tranquilamente.” Correia Serra prevê que até 2015 o Porto aumente a movimentação de carga de 80 milhões a 230 milhões de toneladas.

No evento em Santos, o ex-governador do Estado de São Paulo e presidente estadual do PMDB paulista, Orestes Quércia, afirmou acreditar que o governo federal deveria estar à frente de mais iniciativas como esta, no sentido de aumentar os investimentos na infraestrutura de exportação. “No Brasil, para exportar pagam-se impostos -no mundo inteiro não se pagam impostos para exportar- e a este ônus soma-se a falta de investimento, sobretudo do governo federal, na infraestrutura. O Brasil tem tudo para ser um dos maiores exportadores do mundo, mas precisa que o governo aja nesse sentido”, comentou Quércia.

A Prefeita do Guarujá, Maria Antonieta de Brito (PMDB), ressaltou que as obras nas perimetrais devem preparar a cidade para receber novas empresas e empreendimentos que se instalarão no município, motivados pelos projetos de expansão do Porto e de exploração de petróleo e gás na camada do pré-sal.

“Nossa perimetral, resolvida entre a prefeitura e a Codesp, está caminhando positivamente para poder ter uma alternativa boa para a sociedade e para o porto e faz com que Guarujá hoje possa se credenciar a receber os investimento necessários.” (Priscila Yazbek-DCI)

Veja matéria original

COMMENTS