A importância da segurança nas operadoras logísticas

Nas organizações que enxergam a competitividade como diferencial, a segurança empresarial é utilizada como uma estratégia competitiva bastante eficaz. Nesse caso, se faz necessário o planejamento e coordenação das ações gerenciais de uma forma integrada

Extintor residencial
Condição insegura no tráfego de veículos: sirene, buzina e silvo
A Logística atual, ferramenta de eficiência e lucros

As empresas brasileiras atualmente vivem um cenário desafiador, caracterizado pela busca maior de oferta de produtos e serviços adequados às expectativas dos clientes, mais competitividade, maior desenvolvimento tecnológico e motivação de seus recursos humanos. Este momento é extremamente importante para a sobrevivência em crise econômica ou não.

Algumas empresas buscam tomar ações voltadas para a redução de custos de uma forma isolada, por meio da eliminação de posições em seu quadro de colaboradores, eliminação do cafezinho, redução do terceirizados, controle de ligações telefônicas, corte do plano de saúde e outras tão conhecidas e temidas pelos colaboradores. Para garantir o resultado esperado, estas ações não podem ser tomadas de forma isolada.

Nas organizações que enxergam a competitividade como diferencial, a segurança empresarial é utilizada como uma estratégia competitiva bastante eficaz. Nesse caso, se faz necessário o planejamento e coordenação das ações gerenciais de uma forma integrada, avaliando todos os processos. Tal integração visa garantir a redução dos riscos resultantes das tomadas de decisões e a redução de gastos ou de investimentos.

Para os trabalhadores, sempre que se fala em crise, se pensa em corte, e nesse momento se estabelece a insegurança, podendo levar os colaboradores a sabotar alguns processos por conta da perda do emprego, cujo objetivo é obter algum ganho, diminuindo as perdas futuras, caracterizando uma vingança antecipada.

Nesse sentido, é de suma importância que o departamento de segurança empresarial sempre faça parte do suporte à presidência ou conselho, ou preferencialmente auxiliando o mais alto escalão nas tomadas de decisões, medindo os riscos envolvidos nas operações.

Nessa perspectiva, cabe ao departamento de segurança empresarial o monitoramento das ações das pessoas, seja colaborador direto ou indireto, mapeando os setores em que os trabalhadores podem se organizar para desviar produtos ou fraudar processos, gerando perdas aos negócios.

Dessa forma, podemos destacar os pontos centrais da segurança empresarial:

  • Visão – Proporcionar a visão sistêmica e integrada de todos os processos da empresa. A ausência deste conceito faz com que cada área ou departamento da empresa pense e trabalhe de forma isolada. Isto gera conflitos internos por poder e faz com que os maiores concorrentes de uma empresa seja ela mesma, isto é, internamente existe uma concorrente por meio de seus colaboradores;
  • Informações – Fazer com que as operações, em especial as informações, se movimentem com segurança, agregando valor para a companhia, gerando a sensação de tranqüilidade;
  • Expectativas – Enxergar que todos os fornecedores, colaboradores, comunidade e clientes estão engrenados como elos de uma corrente e são intimamente interligados, avaliando sempre se suas necessidades e expectativas estão sendo plenamente atendidas;
  • Avaliação – Para o desenvolvimento de um bom sistema de segurança empresarial o planejamento estratégico, tático e operacional e a constante avaliação de desempenho, por meios de indicadores, são ferramentas gerenciais essenciais;
  • Tecnologias – Em um ambiente de incertezas e competições acirradas, o uso de um sistema informatizado pelo departamento de segurança empresarial é imprescindível para o acompanhamento e fornecimento de relatórios de informações, auxiliando o gerenciamento para a tomada de decisões;
  • Clima – Acompanhar o resultado da pesquisa de clima organizacional, procurando identificar os pontos fracos da organização e colaboradores, dando um feedback à alta gestão;
  • Entrega – Gerenciar a colaboração entre o fornecedor e o consumidor através do compartilhamento de informações relevantes, garantindo a entrega do serviço com nível desejado;
  • Pessoas – Auxiliar o RH nos processos de recrutamento, seleção, contratação e integração de novos colaboradores, mitigando os riscos envolvidos;
  • Gestão – Também é de sua importância a gestão por meio da administração da segurança analisando os cenários de segurança pública e privada, contratos de prestação de serviços, compra de produtos; responsabilidade civil na execução de serviços de segurança; organização de escoltas; técnicas e táticas; operacionalização e controle, segurança do fluxo da informação aplicando a inteligência e contra inteligência empresarial; fluxo de informação dentro da empresa; fuga de informação; voluntária e involuntária;
  • Conceitos – Para o planejamento da segurança empresarial é necessário conhecer os conceitos de estratégia, metodologia e fases para a realização do planejamento. Realizar diagnóstico, análise de riscos com a utilização de técnicas objetiva e estatística, medindo o impacto financeiro no patrimônio. Elaboração de objetivos e políticas segurança, projeto tático e operacional em segurança, levantamento de investimentos, relação custo x benefício, formatação de um projeto em segurança e projeto de endomarketing;
  • Conhecimento – Conhecer os sistemas integrados em segurança, controle de acesso e sistemas de intrusão. Integrar os sistemas de detecção e combate ao fogo, circuito fechado de televisão e digitalização de imagens, sistemas de rastreamento, integração dos sistemas; centrais de segurança, segurança física com os elementos construtivos, fechaduras, barreiras internas e externas.

Teanes Carlos Santos Silva, gestor de Segurança Empresarial.
teanes@transportabrasil.com.br

teanes60x60 Visite o perfil do articulista

É proibida a reprodução do conteúdo deste artigo em qualquer meio de comunicação,eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Portal Transporta Brasil. As opiniões emitidas nos artigos são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do Portal Transporta Brasil.

COMMENTS