Azul começa a operar em Maringá

Segundo o presidente da Azul, Pedro Janot, Maringá - localizada na região noroeste - foi escolhida como a primeira cidade do interior do Estado a receber voos da companhia pelo fato de estar localizada em uma região em constante crescimento industrial e de grande potencial

Azul em momento de transpiração
Azul e Trip têm novos voos em Minas Gerais
Gol faz promoção em rotas da Azul

A Azul Linhas Aéreas Brasileiras começa a operar, hoje, dois voos diários de Maringá para o aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP). O primeiro sai pela manhã, às 8h05, e o segundo à noite, às 19h30, com preços a partir de R$ 129, por cada trecho, conforme informações da assessoria de imprensa da empresa. No Paraná, a Azul já opera em Curitiba, com quatro voos diários, todos para Viracopos. Ao todo, a companhia que entrou no mercado no ano passado, atende 11 cidades no País e pretende chegar a 14 até o final do ano.

Segundo o presidente da Azul, Pedro Janot, Maringá – localizada na região noroeste – foi escolhida como a primeira cidade do interior do Estado a receber voos da companhia pelo fato de estar localizada em uma região em constante crescimento industrial e de grande potencial. ”Constatamos uma grande demanda, era uma região pouco atendida pelas companhias aéreas”, reforça Janot, destacando o grande fluxo de pessoas que visitam principalmente as empresas têxteis locais. Acrescentou ainda que é uma região que tem muito espaço para crescer.

Janot observa que parte das pessoas de Maringá e região que precisava viajar de avião, a trabalho ou a passeio, se dirigia a Londrina. ”Havia baixas ofertas de voos em Maringá. E para nós era um bom nicho de mercado”, pontua. O presidente da Azul afirma que, apesar de Londrina não ter entrado na rota da companhia neste momento, a cidade não está fora dos planos da empresa. Sem previsão, Janot diz que ”Londrina é uma questão de tempo para a Azul”. ”É uma cidade melhor servida pela malha aérea. Então, entrar primeiro em Maringá foi uma questão de prioridade por conta das oportunidades da região”, frisa.

Quanto ao fato dos dois voos diários da Azul serem direto para Campinhas, Janot explica que é por uma questão estratégica. O aeroporto de Viracopos, conforme ele, está bem próximo da capital paulista e também de cidades importantes do interior de São Paulo. Além disso, de Campinas os passageiros da Azul podem fazer conexão para outras cidades atendidas pela companhia, entre elas Porto Alegre, Manaus e Salvador. Janot ainda lembrou que a companhia oferece gratuitamente ônibus de Campinhas para São Paulo (em pontos específicos) e algumas cidades do interior.

Os investimentos em Maringá, acrescenta ele, assim como nas demais regiões atendidas pela Azul estão concentrados na aquisição de aviões. Hoje, a Azul opera com 11 aeronaves, nos modelos Embraer 190 e 195, com capacidade para 105 e 118 passageiros, respectivamente. Com a chegada da companhia aérea em Maringá foram gerados 28 empregos diretos.

Para o vice-presidente do Convention Visitors & Bureau de Maringá, Fernando José Rezende, o início das operações da Azul na cidade é de extrema importância. ”Com mais companhias aéreas temos mais estrutura para tentar trazer mais eventos, principalmente, da área de turismo de negócios”, exemplifica, frisando que a entidade está ansiosa para que a empresa consiga bons resultados. ”É mais uma opção para quem precisa voar. E tem espaço para todos”, diz Rezende ao citar a importância das outras duas empresas aéreas que atuam na cidade: a Gol e a Pantanal.

COMMENTS