Projeto que recupera rodovias no Sul é o primeiro beneficiado com redução de taxas do BNDES

A operação já será contemplada com a redução das taxas do banco, anunciada pelo presidente do BNDES, Luciano Coutinho, como resultado da diminuição do custo de repasse de recursos do Tesouro Nacional à instituição

BNDES libera R$ 2,7 bilhões para investimentos em três estados
Indústria de implementos rodoviários reage e reduz perdas de 2012
Governo amplia Procaminhoneiro e derruba juros para 5,5% ao ano

Três concessionárias do grupo OHL Brasil, vencedor de leilão para exploração de rodovias federais, realizado em 2007, vão receber um empréstimo ponte do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no valor de R$ 756,4 milhões. A aprovação do financiamento foi divulgada esta semana pelo banco.

A operação já será contemplada com a redução das taxas do banco, anunciada pelo presidente do BNDES, Luciano Coutinho, como resultado da diminuição do custo de repasse de recursos do Tesouro Nacional à instituição. “Esse projeto vai poder se beneficiar disso”, afirmou Coutinho. As rodovias incluídas no projeto constituem uma rota de integração com o Mercado Comum do Sul (Mercosul).

Serão gerados 7,7 mil empregos nas obras, que abrangerão as autopistas Fernão Dias (BR-381), que liga as cidades de São Paulo e Belo Horizonte,  Litoral Sul (BRs 116, 376 e 101), entre Curitiba e Florianópolis, e Régis Bittencourt (BR-116), de São Paulo a Curitiba. Os projetos se referem à segunda etapa do Programa de Concessões Rodoviárias Federais.

Os recursos do BNDES serão aplicados em serviços de recuperação, conservação, ampliação, manutenção e monitoramento contínuo das rodovias e na compra de equipamentos.

Empréstimo ponte é o nome dado ao financiamento de um projeto com o objetivo de agilizar a realização de investimentos por meio da concessão de recursos no período de estruturação da operação de longo prazo. Ele é concedido em casos específicos, dependendo de do BNDES, segundo informação da assessoria de imprensa da instituição. (Alana Gandra – AB)

Link para a matéria

COMMENTS