Logística vê recuo da demanda, mas garante aportes

Um exemplo é a europeia Ceva Logistics, operadora que fechou o primeiro trimestre deste ano com Ebitda

Indústria de guindaste se sustenta em alta
Petrobras inaugura sua 1ª usina de biodiesel
Diretor da Petrobras diz que estoques de álcool estão baixos, mas não há desabastecimento

As empresas ligadas ao setor de logística estão se movimentando positivamente, e, apesar da retração da demanda de cargas, que teve impacto nos resultados financeiros, elas garantem novos negócios e mais investimentos. Um exemplo é a europeia Ceva Logistics, operadora que fechou o primeiro trimestre deste ano com Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de 30 milhões de euros, valor 58,3% menor do que o visto em 2008.

Já a receita da empresa atingiu 1,3 bilhões de euros no mesmo período, e, apesar de este valor ser 13,3% menor do que o do ano anterior, a companhia conseguiu um bom fluxo de novos negócios, que corresponderam a 575 milhões de euros, ou incremento de 20% no ano. “As tendências negativas, indicadas no quarto trimestre, continuaram nos primeiros dois meses do ano, Mas observamos um aumento em março, em relação aos primeiros dois meses do ano”, comunicou a Ceva, incluindo que neste momento há “aumento nos níveis de produção no setor automotivo”, o que vai incentivar os negócios.

Porto

Na área portuária, a LLX Logística e a MMX Mineração e Metálicos, do empresário Eike Batista, anunciaram o início do acordo com a chinesa Wuhan Iron and Steel Co que visa a instalar, no Porto do Açu, uma planta siderúrgica com capacidade futura de 5 milhões de toneladas ao ano e que, segundo a empresa, “quando terminada, representará o mais importante investimento chinês no Brasil”. (Fabíola Binas – DCI)

Link para a matéria

COMMENTS