Número de motos emplacadas deve cair 12%

As projeções da (Abraciclo) são as mesmas divulgadas em dezembro, que seriam revisadas para baixo em razão da queda de vendas no primeiro trimestre, mas que foram mantidas com a isenção da Cofins

Deutsche Post corta 15 mil empregos
Logística tem papel importante no planejamento estratégico das empresas para 2009
Viracopos registra mais 13 mil toneladas em importações em julho

A indústria de motos já espera a prorrogação, até o fim do ano, da medida anunciada pelo governo federal que zerou a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) que incide sobre as motocicletas de 1º de abril até 30 de junho.

As projeções da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo) são as mesmas divulgadas em dezembro, que seriam revisadas para baixo em razão da queda de vendas no primeiro trimestre, mas que foram mantidas com a isenção da Cofins. A Abraciclo prevê uma queda de 12% na quantidade de motos emplacadas neste ano, para 1,850 milhão de unidades, ante 2,1 milhões em 2008.

A quantidade de motos emplacadas no primeiro trimestre recuou 15%, para 369.811 unidades, na comparação com os três primeiros meses de 2008. Os estoques de 40 dias da indústria de motocicletas chegam a 140 mil unidades.

Até setembro, a indústria trabalhava com estoques de 36.230 unidades. Em dezembro, os estoques nas fábricas e na rede de concessionárias chegaram a 153.483. Com a redução nos emplacamentos e o elevado nível de estoques, a produção no primeiro trimestre recuou 47,8%, para 282.188 unidades.

Link para a matéria

COMMENTS