Logística

Logística tem papel importante no planejamento estratégico das empresas para 2009

De acordo com dados da Associação Brasileira de Logística (Aslog), a logística é responsável por cerca de 20% do PIB no país, sendo que 12% correspondem a transporte e 8% a armazenagem, administração de pedidos e estoque

13/4/2009

16h00

Assessoria de Imprensa da Intermodal

Clipping

Com o atual cenário da economia mundial, a Logística assumiu um papel fundamental para reduzir custos e aumentar a competitividade entre as empresas, diferenciando-as no mercado e agregando valor a seus produtos e serviços. De acordo com dados da Associação Brasileira de Logística (Aslog), a logística é responsável por cerca de 20% do PIB no país, sendo que 12% correspondem a transporte e 8% a armazenagem, administração de pedidos e estoque. Segundo Joris Van Wijk, diretor da UBM, promotora da Intermodal South America 2009, para traçar qualquer panorama sobre o setor logístico é preciso analisar as transformações pelas quais a economia vem passando. “Uma fonte de redução de custos está na movimentação logística, e para isso é preciso contar com empresas eficientes”, explica Van Wijk, acrescentando que o evento é um pólo de informações sobre as melhores práticas no setor.

Durante os três dias do evento, o visitante terá a oportunidade de conhecer o que as empresas prestadoras de serviços logísticos estão realizando de novo, como a chegada de operadores logísticos internacionais que se fundem com empresas nacionais, novos softwares que auxiliam na administração dos estoques, além de investimentos. Algumas destas empresas poderão ser visitadas durante a Intermodal que acontece de 14 a 16 de abril no Transamérica Expo Center, em São Paulo.

Veja abaixo alguns bons exemplos

Empresas na contramão da crise

A subsidiária da americana McLane no Brasil, do grupo Berkshire Hathaway, promete alçar novos vôos no segmento logístico. Após registrar um faturamento acrescido em 20% em 2008, em relação ao ano anterior – como conseqüência de mais de R$ 52 milhões investidos em novos empreendimentos, a empresa vislumbra desenvolver um mercado em potencial no Sul do País, a partir da ampliação do Centro de Distribuição de Canoas (RS). A iniciativa, que conta com investimento superior a R$ 15 milhões e expectativa de conclusão para o primeiro semestre de 2009, dobrará a capacidade de armazenamento – que, atualmente, movimenta 110 mil toneladas por ano – e ainda refletirá em benefícios para a cidade de Canoas, por meio da geração de empregos diretos e indiretos. “A previsão é realizada com base no número de colaboradores do Centro de Distribuição que atuarão diretamente nas atividades da companhia: haverá um aumento de 150 operadores”, ressalta o diretor de operações da McLane, Ozoni Argenton Jr.

Nos últimos cinco anos, a Exata Logística apresentou crescimento bem acima da média do setor. Em 2004, contava com duas unidades – em São Paulo (SP) e Porto Alegre (RS) – que apresentavam faturamento de R$ 14 milhões. Hoje, está entre as maiores empresas brasileiras de logística, presente em 14 estados, com 14 centros de distribuição e a matriz em São Paulo, fato que a levou, de acordo com o ranking 2008 da Deloitte / Exame PME, a ocupar a 34º posição. De acordo com o diretor-geral da empresa, Mauricio Pastorello, a Exata registrou, no ano passado, receita de R$ 70 milhões. “Em 2009, planejamos faturamento de R$ 100 milhões”, diz. A estratégia adotada pela empresa é crescer dentro da base de clientes, conquistar novos e expandir geograficamente. Nos próximos meses, a Exata vai inaugurar mais três centros de distribuição.  Outros três já entraram em operação. “A Exata Logística prevê um investimento da ordem de R$ 5 milhões este ano, que será distribuído entre os três pilares que compõem a filosofia da empresa: processos, tecnologia e talentos”, ressalta Pastorello. “Vale destacar que uma parte significativa do investimento será aplicada em um novo sistema de ERP, previsto para ser implantado em prazo recorde”.

A Capital Realty definiu para o biênio 2009-2010 investimentos de R$ 20 milhões para a construção de 17 mil m2 de armazéns no Mega Intermodal, condomínio logístico situado na cidade de Esteio, região metropolitana de Porto Alegre. O local possui, atualmente, 30 mil de área construída. Esta área já inclui um prédio de 6 mil, recentemente inaugurado. “Há uma carência enorme por áreas com infra-estrutura adequada. Existem negociações para construção de novas estruturas para atender operadores logísticos nos três estados da Região Sul e em São Paulo”, afirma o diretor da empresa, Rodrigo Demeterco. “Nosso molde de investimento evidencia a relação custo benefício e também desmistifica as vantagens de se ter sede própria, ou seja, deixa o empresário livre para investir na sua atividade principal”.

Os rendimentos da Capital Realty com a locação de áreas nos condomínio somaram, em 2008, R$ 35 milhões, aumento nominal de 30% sobre o ano imediatamente anterior. A meta fixada para 2009 é crescimento entre 20% e 25%.

Único operador logístico do Brasil

A Inland Logística e Terminais, nova marca do grupo Removecarga, destaca-se no segmento pelos diferenciais que oferece a seus clientes. Atualmente, a empresa possui o único operador logístico do Brasil atuando com terminais próprios em Itaguaí (RJ), Guarujá (SP) e São Paulo (SP), que viabilizam a exportadores e importadores – situados em Minas Gerais, Vale do Paraíba, Grande São Paulo, Interior de São Paulo e Rio de Janeiro – escoar mercadorias a partir de um único operador.

Segundo o diretor executivo da empresa, Marcelo Luz Sousa, outro diferencial da Inland Logística e Terminais é a logística integrada retroportuária, na qual concentra-se as atividades de Terminal Retroportuário (REDEX), armazenagem, transporte rodoviário e Terminal de Containers Vazios (DEPOT) nas unidades de Itaguaí (RJ) e Guarujá (SP). “Somente com a utilização deste conceito, é possível a otimização de recursos, ação que reflete em ciclos operacionais e custos menores”, afirma Sousa. “Apesar da crise, conseguimos manter o faturamento de 2007”, complementa o diretor. Em 2009, a perspectiva do grupo é ocupar a capacidade instalada de suas unidades, “o que representará um enorme desafio diante do cenário econômico atual”.

Joint Venture

Com o objetivo de oferecer ao mercado um portfólio ampliado de serviços e um conceito de soluções integradas com otimização dos custos logísticos, o Expresso Mirassol e a LSI Logística formaram uma joint venture que une as especialidades das empresas no transporte, armazenagem, movimentação de cargas e logística in house. Do casamento destas duas empresas nasce a joint venture que tem origem 100% nacional e conta com a capacidade de proporcionar aos clientes a visibilidade total da cadeia logística com informações em tempo real e grande sinergia de operações. “Queremos oferecer ao mercado soluções integradas e este é o objetivo principal da joint venture”, explica o diretor do Expresso Mirassol, Celso Salgueiro Filho.

Para dar vazão ao planejamento das duas empresas, a joint venture Mirassol-LSI estima investir um total de R$ 150 milhões na construção e estruturação de estruturas de armazenagem, Centros de Distribuição, tecnologia, ampliação e renovação de frota e equipamentos de movimentação de cargas. A união das operações das duas empresas contará no total com uma frota de 910 equipamentos de transporte rodoviário e cerca de 300 equipamentos de movimentação interna de cargas. Até 2012, as empresas empregarão cerca de cinco mil pessoas e projetam um faturamento conjunto de R$ 500 milhões.

Mercadoria sensível conta com transporte com temperatura controlada

Clientes do segmento farmacêutico e de saúde – além de indústrias que têm necessidades especiais para o transporte de produtos sensíveis – poderão contar, agora, com serviços e soluções logísticas com temperatura controlada. Fruto do recente acordo com a Global Master Lease Envirotainer AB, na Suécia (fornecedora de contêineres de carga aérea com temperatura controlada), a DB Schenker passará a utilizar equipamentos e serviços especializados da Envirotainer. De acordo com o presidente do Conselho de Administração da Schenker AG em Essen, na Alemanha, Thomas C. Lieb, essa parceria vai alavancar o desempenho e a segurança do serviço de supply chain oferecido aos seus clientes do ramo farmacêutico e de saúde. “Com os nossos serviços aéreo, marítimo, rodoviário e ferroviário disponibilizados em uma única fonte, aliamos alta qualidade e agilidade nas operações especiais, conectando os mercados na Europa, nas Américas e na Ásia”, ressalta Lieb.

Novo sistema de gerenciamento

O grupo Robotech deu um importante passo no ramo da logística no ano passado. A partir da criação da Place Logistics, empresa que vai gerenciar todas as atividades do grupo, a Robotech recoloca-se no mercado logístico e passa a competir com multinacionais instaladas no País. A empresa conta com um sistema gerenciamento que funciona por meio de códigos de barras para todos os materiais que entram no armazém, identificando a localização exata da posição de estoque, ferramenta chamada de bin location. “Registramos todo o histórico da movimentação de cada item de nossos clientes e, também, temos outros módulos para controle e medições para laboratório de assistência técnica, testes e produção, que suporta todos os serviços direcionados às empresas de tecnologia, para qual oferecemos armazenagem e distribuição”, afirma o diretor geral da empresa, Miguel Barreto de Sousa.

Aquisição da União Terminais consolida liderança

De acordo com o gerente de negócios sólidos da Ultracargo, José Henrique Bravo, em 2008, a companhia adquiriu a União Terminais, antes controlada pela Unipar (União das Indústrias Petroquímicas S.A.). A aquisição consolidou a liderança isolada da Ultracargo no setor de armazenagem de granéis líquidos no Brasil, conquistando 35% de participação no mercado, consolidando sua posição de maior empresa do setor na América do Sul. Em volume de armazenagem, representou aumento de quase 50%, de 353 mil para 528.133 m3, com a inclusão de três novos terminais localizados no Rio de Janeiro, Santos e Paranaguá. A Ultracargo fechou o ano com uma frota de 579 carretas, 34,1 milhões Kms rodados e a receita líquida de R$ 283 milhões.

Implantação de fábrica de celulose

A Custom Comércio Internacional é a operadora logística responsável por centralizar os processos de importação dos equipamentos e componentes para a implantação da maior fábrica de celulose do mundo, em Três Lagoas (MS). A planta, que pertence à VCP (Votorantim Celulose e Papel), entrará em funcionamento neste mês, com uma capacidade de produção anual 1,3 milhão de toneladas de celulose de mercado. A construção da unidade industrial, batizada de Projeto Horizonte, ficou a cargo da Poyry Empreendimentos Industriais, que contratou a Custom para coordenar a logística de importações. O diferencial desta operação, que teve início em janeiro de 2008, foi o processo de nacionalização das máquinas e peças importadas, que só ocorreu quando estas desembarcaram no canteiro de obras. “Com este tratamento especial, obtido junto à Receita Federal, o fluxo e o custo logístico foram significativamente reduzidos. Caso contrário, as importações deste projeto, que chegaram aos portos de Paranaguá e Santos, teriam de seguir até o recinto alfandegado de Campo Grande (MS), onde não há espaço para receber este volume de cargas. Além disso, a planta de Três Lagoas fica a 350 km ao sul da capital daquele estado. Tudo isso teria impacto negativo no cronograma e no custo da implantação”, explica o sócio-diretor da Custom, Milson Januário.

Ampliação de 5 mil metros quadrados

Destinado a atender clientes do segmento de consumo, o Centro de Distribuição Cajamar foi inaugurado pelo Grupo Columbia em novembro de 2006. Para marcar os dois anos de atividade, a empresa anuncia a operação que ampliará em 5.000m² a área da unidade, que possui atualmente 34.000m². “O uso intenso da tecnologia nos processos de recebimento, armazenagem e picking somado aos altos volumes operacionalizados tornam esta operação, sem dúvida alguma, um desafio para todos”, afirma o gerente da Divisão Logística da Columbia, Marcelo Brandão.

Serviço semanal de consolidação marítima

Recentemente, a DFX inaugurou alguns serviços, como as consolidações semanais de exportação marítima LCL em contêineres com HUB, em Santos, e com destinos ao Peru, Chile e América Central. Foi inaugurado também um serviço semanal de consolidação marítima de importação LCL em contêineres marítimos de Houston para os principais portos brasileiros, via HUB santos. A empresa aumentou, significativamente, o departamento de projetos especiais de cargas industriais porta a porta de volumes especiais heavy lift and over dimention.

A feira

A Intermodal, maior feira das Américas dos setores de logística, transporte e comércio internacional, irá reunir expositores de cada um dos quatro modais – aéreo, rodoviário, ferroviário e marítimo – em um só espaço o que hoje é considerado o maior desafio deste mercado: integrar os quatro modais. A feira, que é organizada pela UBM Brazil, acontecerá de 14 a 16 de abril, no Transamérica Expo, em São Paulo e irá contar com  450 expositores, 12% a mais que a edição anterior, sendo que a participação internacional cresceu em 20%.  O número de visitantes deve ultrapassar a edição anterior, em 2008, quando o evento recebeu 45 mil profissionais do setor.

  • tv transporta brasil

    TVTRANSPORTABRASIL
  • Publicidade

  • Articulistas

    Simulador de direção veicular: uma necessidade

    Leia a análise do Dr. Dirceu Rodrigues Alves Jr., articulista do Portal Transporta Brasil especialista em Medicina de Tráfego, sobre a importância do treinamento em simuladores para a capacitação de motoristas, profissionais ou não

    Competências e habilidades de um gestor de TI

    O especialista Anírio Neto destaca algumas das principais características que um bom gestor de Tecnologia da Informação deve ter no dia a dia para cumprir com suas funções

  • Publicidade

  • Publicidade

  • Bolsa de Valores – ADVFN

  • Redes Sociais

    Facebook