Marcopolo e Scania vão fornecer 143 ônibus para África do Sul

Todo suporte técnico e pós-vendas será feito pela fábrica Marcopolo South Africa, situada em Germiston - Gauteng Province, Johannesburg

Atraso no salário pára manutenção da linha férrea BAURU (SP)
Ford anuncia ampliação de férias coletivas
Governo federal anuncia mais R$ 600 milhões para investimentos no Aeroporto Tom Jobim

A Marcopolo South Africa e a área comercial da Scania África do Sul venceram licitação para a fase 1A do primeiro sistema de transporte massivo da África do Sul, chamado Rea Vaya, que no idioma “Sotho” significa “Nós vamos”. As duas empresas vão produzir 143 ônibus para a prefeitura de Johannesburg. Os ônibus serão montados em Caxias do Sul e exportados completos. As empresas não revelam valor do investimento.

Todo suporte técnico e pós-vendas será feito pela fábrica Marcopolo South Africa, situada em Germiston – Gauteng Province, Johannesburg. As entregas estão programadas para ocorrer até junho, um pouco antes do inicio da Copa das Confederações de Futebol.

O lote compreende 41 unidades do modelo Viale Articulado – com 18,5 metros de comprimento e capacidade para 112 passageiros, e 102 unidades do Viale convencional, com 13 metros de comprimento e capacidade para até 81 ocupantes.

Os veículos terão chassis Scania K310 articulado e K270, motorização de baixa emissão de poluentes, seguindo normas ambientais Euro IV. Os motores usarão a tecnologia da recirculação do gás de exaustão (EGR), que reduz as emissões durante a combustão, eliminando desse modo a necessidade de equipamento para tratamento posterior dos gases. Também serão equipados com sistema GPS e elevadores para embarque e desembarque de passageiros cadeirantes ou com mobilidade reduzida.

A cidade de Johanesburgo está iniciando os investimentos em infraestrutura, com ênfase num transporte público eficiente balizado pelo conceito Bus Rapid Transit (BRT) que designa veículos com elevada capacidade de passageiros, e que trafegam em pistas exclusivas, contribuindo para diminuir o número de automóveis em circulação e para preservação ambiental. “Os investimentos no país serão grandes, princi-palmente devido a Copa do Mundo de Futebol, em 2010. Só em Johanesburgo, cerca de mil novos ônibus deverão entrar em serviço”, conta o diretor de operações comerciais para o mercado externo da Marcopolo, Paulo Andrade.

COMMENTS