BNDESPar se associa ao empresário Eike Batista

A transação ocorreu por meio de um aumento de capital da LLX, no montante de R$ 600 milhões. Desse total, o BNDES aplicará R$ 150 milhões

Antaq participa de evento sobre o futuro da logística mundial, em São Paulo
Presidente da Infraero lança obras no Galeão e diz que é contra privatização de aeroportos
Caravana Siga Bem Caminhoneiro conscientiza motoristas sobre violência doméstica

A BNDES Participações (BNDESPar), braço de atuação no mercado de capitais do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, acaba de adquirir uma fatia de 12,05% da LLX Logística, empresa do empresário Eike Batista. A transação ocorreu por meio de um aumento de capital da LLX, no montante de R$ 600 milhões. Desse total, o BNDES aplicará R$ 150 milhões.

O fechamento do negócio foi anunciado por Eike Batista ontem (16), durante visita ao porto de Açu, em São João da Barra (RJ), onde esteve acompanhado do governador Sérgio Cabral. O porto de Açu é o principal projeto da LLX na área de logística.

Segundo assessores do BNDES, a BNDESPar pagará R$ 1,80 por ação para se tornar sócia da empresa. Esse preço equivale a um ágio de 27% sobre a média ponderada do volume dos últimos 60 dias de negociação.

“O ágio de 27% se justifica porque as condições atuais de mercado não refletem o potencial de valorização da empresa, que tem ótimas perspectivas de longo prazo, pois se trata de um setor carente de investimentos e com demanda reprimida”, justificou o banco. O BNDES considerou a compra de participação acionária na LLX “uma boa oportunidade de investimento”.

Segundo fonte da LLX Logística, a empresa tem dois projetos em desenvolvimento. O maior é o do porto do Açu, com terminais para a movimentação de minério de ferro e carga geral. A expectativa é iniciar a operação em 2011. Em processo mais lento está o porto do Sudeste, na Baixada Fluminense, que movimentará minério de ferro.

Além dos R$ 150 milhões do BNDES, Eike Batista, por meio de sua empresa Centenial, e o fundo de pensão canadense OTPP, subscreverão R$ 311 milhões em ações. Os R$ 138 milhões que restam para atingir os R$ 600 milhões previstos virão da adesão de acionistas minoritários.

A LLX vai recorrer também a financiamento do BNDES. Segundo fonte da empresa, está em fase de enquadramento crédito para o porto do Açu, da ordem de 75% do projeto, orçado em US$ 700 milhões. Também foi pedido financiamento para o porto do Sudeste, que tem orçamento de US$ 380 milhões.

Link para a matéria

COMMENTS