Renault tem novo presidente no Mercosul

Jérôme Stoll, que ingressou na montadora francesa em 1980 e veio para o Brasil em 2006, depois de uma passagem pela Rússia, ocupava as funções de presidente da Renault do Brasil

Aéreas podem ser beneficiadas com movimento
Balança comercial tem superávit de US$ 737 milhões na semana
Andar de moto em SP é mais barato do que pegar ônibus

Numa decisão que surpreendeu os integrantes da operação brasileira, a Renault anunciou ontem a promoção do seu principal executivo no Brasil, Jérôme Stoll, para o cargo de vice-presidente comercial do Grupo Renault, diretor geral da região Europa e também responsável pela divisão mundial de veículos utilitários a partir de 1º de março. Stoll, que ingressou na montadora francesa em 1980 e veio para o Brasil em 2006, depois de uma passagem pela Rússia, ocupava as funções de presidente da Renault do Brasil, diretor geral da Renault Mercosul e, recentemente, o cargo de diretor da região Américas do Grupo Renault.

Com a promoção, o executivo ingressa no Comitê Executivo do Grupo Renault, reportando-se a Patrick Pélata, Chief Operating Officer (COO), juntamente com Odile Desforges, nomeada Vice-presidente das Engenharias e da Qualidade, em substituição a Jean Louis Ricaud, que deixa a empresa.

A empresa fez pelo menos nove mudanças importantes no seu board mundial alegando a necessidade de “reforçar a gestão operacional da empresa, principalmente com a criação da região Rússia”, segundo comunicado distribuído ontem junto com seus resultados financeiros no mundo.

Para substituir, à Jérôme Stoll a frente da Renault do Brasil e do Mercosul, desembarca no País Jean-Michel Jalinier, que está na empresa desde 1985 e ocupava o cargo de diretor geral da Renault na Rússia desde 2003. Patrick Pélata, atual Chief Operating Officer (COO) do Grupo acumulará temporariamente o comando da Região Américas. A Renault do Brasil informou, através de sua assessoria, que Stoll ainda não desejava fazer comentários sobre a substituição.

O período de Jérôme Stoll no Brasil é considerado impecável e foi o que influenciou decisivamente na promoção. Ele organizou o plano para o Mercosul, que envolveu investimentos de R$ 1 bilhão, tendo como eixo principal a renovação da oferta de modelos e, após dez anos de atividades no País, a Renault apresentou seus primeiros resultados positivos, conquistando novos consumidores e ampliando a participação de mercado no Brasil de 2,8 % em 2006 para 4,3% no final de 2008. O executivo participou do lançamento de cinco novos veículos: Mégane Sedan, Mégane Grand Tour, Logan, Sandero e Sandero Stepway. Um sexto modelo, o Symbol, tem lançamento confirmado para este semestre. O Logan e o Sandero são sucessos de vendas. Ele implantou ainda o Renault Design América Latina (RDAL), primeiro estúdio de design da marca no continente e o Centro de Engenharia América, no parque industrial da empresa, localizado em São José dos Pinhais (PR).

Link para a matéria

COMMENTS