UE aprova compra da Continental pela Schaeffler

A Comissão Européia, órgão regulador antitruste dos 27 países membros da UE em Bruxelas, "concluiu que a transação não irá impedir de modo significativo a concorrência efetiva", disse a CE na sexta-feira em um comunicado

CCJ aprova acordo de cooperação aérea com o Panamá
Mercado antecipa balanços de aéreas e as ações despencam
Com o tempo o mundo vai “se curvar” aos biocombustíveis, afirma Lula

A Schaeffler Group, fabricante de rolamentos de propriedade familiar, recebeu aprovação das autoridades antitruste da União Européia (UE) para comprar 90% da Continental, abrindo o caminho para o acordo de € 12,7 bilhões (US$ 17,6 bilhões).

A Comissão Européia, órgão regulador antitruste dos 27 países membros da UE em Bruxelas, “concluiu que a transação não irá impedir de modo significativo a concorrência efetiva”, disse a CE na sexta-feira em um comunicado.

A Schaeffler, com sede em Herzogenaurach, Alemanha concordou em adquirir a Continental por € 75 por ação em 21 de agosto, antes do arrocho de crédito e a recessão nos Estados Unidos e Europa promoverem a queda no negócio do setor automotivo. O acordo prevê pagamento aos acionistas em prazo de oito dias após a sentença da UE..

A aprovação foi “um profundo suspiro de alívio para todos aqueles que leiloaram suas ações “, disse Michael Tyndall, analista da Nomura Securities em Londres. “O grande ponto de interrogação agora é como a Schaeffler irá fazer o acordo funcionar.

As vendas de carros nos Estados Unidos, em novembro, recuaram 37%, conduzindo a taxa anual de vendas para o nível mais baixo em 26 anos, enquanto que as entregas na Europa registraram uma queda de 26%, o maior declínio mensal desde 1999. Os mercados enfraquecidos fizeram com que as montadoras parassem de comprar peças, à medida que reduzem a produção .

A General Motors planeja reduzir a fabricação de veículos em 30% no primeiro trimestre . A Mercedes-Benz, do grupo Daimler, irá montar apenas três a quatro carros por dia semanalmente no período.

O Grupo Schaeffler, que ocupa o segundo lugar, atrás da SKF na fabricação de rolamentos, pretendia na sexta-feira fechar a maioria das fábricas para uma pausa prolongada , e reduzirá os gastos de capital no próximo ano. Continental com sede em Hanover, Alemanha , segunda maior fornecedora de componentes automotivos na Europa, atrás da Robert Bosch, demite 5 mil empregados temporários e disse que planeja cortes “extensos” nos custos.

O Grupo Schaeffler, de propriedade da bilionária Maria-Elisabeth Schaeffler e de seu filho Georg Schaeffler, deterá 90% da Continental após os investidores terem leiloado 82,4% das ações, mais do que antecipou a companhia.

A Schaeffler, que anteriormente pretendeu uma participação de 30% a 50%, prometeu limitar a holding para menos da metade sob um acordo de compra alcançado com a Continental em agosto. Os bancos trabalhando para a Schaeffler incluem Royal Bank of Scotland Group, Commerzbank, Dresdner Kleinwort, Lendesbank Baden-Wuerttemberg, UBS e a divisão HVB Group do UniCredit. A companhia quer transferir o excesso de ações para outro bancos até que possa ser vendido.Desde que a oferta se encerrou em 16 de setembro, a Schaeffler comprou cerca de 27,5 milhões de ações da Continental ou 16,2% do capital, a um preço médio de € 59,96 por ação. Isso reduziu o preço de aquisição em aproximadamente € 413 milhões

Receita US$ 34 bilhões

A receita combinada da Schaeffler e Continental totaliza cerca de € 34 bilhões, e sua dívida alcançará um total de € 22 bilhões. A.Schaeffler, cujos produtos incluem peças de transmissão para carros, e rolamentos para o setor aeroespacial, registrou vendas em 2007 de € 8,9 bilhões, enquanto que sua dívida após o acordo está sendo estimada em cerca de € 11 bilhões.

A dívida da Continental que também é a segunda maior fabricante de pneus na Europa, foi rebaixada para o nível de dívida de alto risco pela Fitch Ratings em 12 de dezembro, e pela Moody´s em 18 de dezembro.

COMMENTS