Montadoras de caminhão recorrem a férias coletivas

Para ajustar a produção à demanda menor, montadoras de caminhões também recorrem a férias coletivas, assim como fabricantes de automóveis

Cenário insustentável para MT em 2020
Chuva causou estragos “muito grandes” em rodovias do Rio, avalia Dnit
Futura ferrovia no MS recebe R$ 20 milhões

Para ajustar a produção à demanda menor, montadoras de caminhões também recorrem a férias coletivas, assim como fabricantes de automóveis. A Scania informou ontem que vai parar por 30 dias a produção na fábrica de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, de 15 de dezembro a 18 de janeiro. A Ford decidiu antecipar as férias coletivas dos empregados da fábrica de caminhões, em São Bernardo do Campo, e adiou a implantação do segundo turno, que estava prevista para janeiro de 2009.

Para a Volvo, a crise mundial está ajudando o mercado brasileiro a voltar ao ritmo normal, já que faltavam caminhões para vendas. “Dá para perceber que o mercado está se normalizando e estabilizando porque nossos prazos de entrega nos últimos dias já caíram de 90 a 120 dias para 60 dias, o que é saudável”, afirmou Bernardo Fedalto, gerente de caminhões da Volvo. A empresa lançou ontem o caminhão FM 11 litros, que disputará o segmento de até 50 toneladas, onde a Volvo não atuava.  C1(Gazeta Mercantil/1ª Página – Pág. 1)(Sonia Moraes e Norberto Staviski)

Link para a matéria

COMMENTS