Cai número de vôos atrasados e cancelados

Em outubro deste ano, os atrasos e cancelamentos em vôos na rede Infraero foram de 12,53% e 3,17%, respectivamente. O total de partidas programadas foi de 58.240

Volkswagen lidera partipação de mercado
Exxon Mobil tem lucro de US$ 45 bi, o maior da história
Detran intima 2.645 motoristas a entregarem a carteira de habilitação

Os passageiros dos aeroportos administrados pela Infraero já percebem que os dias de longos atrasos e de cancelamentos de vôos estão cada vez mais distantes. Hoje, os percentuais são comparáveis aos de países de primeiro mundo. Em outubro deste ano, os atrasos e cancelamentos em vôos na rede Infraero foram de 12,53% e 3,17%, respectivamente. O total de partidas programadas foi de 58.240.

Quando comparados ao ano passado, os números estão em queda livre. Em outubro de 2007, foram registrados 26,44% de atrasos e 5,31% de cancelamentos. O mês de menor registro de atrasos e cancelamentos neste ano foi setembro: 10,51% e 3,03%, respectivamente.

Os números da estatística levam em conta o referencial de tolerância 30 minutos, instituído a partir de maio deste ano e também usado como índice nos registros do ano passado para se fazer a comparação. Um minuto além dos 30 regulamentares já é considerado atraso.

Entre os aeroportos mais movimentados, o Galeão (RJ) apresentou os menores índices em outubro, com 9,15% vôos atrasados e apenas 0,05% cancelados. Em seguida, vêm os aeroportos de Congonhas (SP), com 12,90% e 5,22%; Brasília (DF), com 13,05% e 1,40%; e Guarulhos (SP), com 15,94% e 6,98%.

Na avaliação do presidente da Infraero, Sérgio Gaudenzi, esse é o resultado do trabalho em conjunto dos órgãos de governo. “O principal foco da Infraero é o usuário do transporte aéreo”, afirma.

Os índices de atrasos de vôos por aeroporto e pelas principais companhias aéreas podem ser conferidos no sítio www.infraero.gov.br

COMMENTS