Azul antecipa estréia para dezembro

A companhia previa inicialmente começar a operar em janeiro de 2009, mas já cogitava entrar no mercado brasileiro no fim deste ano

Trip vai operar na ponte aérea Rio-São Paulo
Passageiros da Azul acumulam pontos em programa
Azul é a transportadora oficial da turnê: Gilberto Gil Concerto de Cordas e Máquinas de Ritmo

A pedido do governo federal, a companhia aérea Azul vai antecipar para o início de dezembro a estréia de suas operações no País, informou ontem o diretor de relações institucionais, Adalberto Febeliano. Para antecipar suas operações, a Azul teve que arrendar dois aviões da norte-americana JetBlue.

A companhia previa inicialmente começar a operar em janeiro de 2009, mas já cogitava entrar no mercado brasileiro no fim deste ano. “Não se trata de pressa. É necessidade. O mercado precisa de mais um concorrente. É o que as autoridades estão sentindo”, disse Febeliano após evento na Câmara de Comércio Americana do Rio de Janeiro.

“O plano original da Azul era só ter avião Embraer novo, mas como antecipamos nos vimos obrigados a trazer dois aviões arrendados. Todos os gabinetes (de Brasília) pediram para a gente antecipar”, acrescentou o executivo.

A Azul pretende operar com 16 aeronaves e voar para nove cidades. A meta é transportar mais de 1 milhão de clientes. Em 2010, a empresa espera ter 2,5 milhões de clientes, 26 aviões e voar para 15 cidades. “Nosso objetivo é oferecer vôos diretos. Queremos conquistar novas parcelas de mercado que não voam hoje com as companhias existentes”, afirmou o executivo.

Crise financeira

O executivo acredita que os planos da Azul para o Brasil não serão afetados pela crise financeira internacional uma vez que o mercado nacional tem um “enorme potencial para ser três ou quatro vezes maior do que é hoje”

Segundo Febeliano, uma mudança de rota ocorreria só se a crise for muito profunda. “Se houver uma mega crise talvez tenhamos que repensar alguma coisa e adiar entrega de aviões. Os planos da Azul estão ligados ao potencial de crescimento do País”, avaliou. (Reuters – Gazeta Mercantil)

Link para a matéria

COMMENTS