Novas regras confundem motoristas de caminhões pequenos

O secretário municipal de Transportes, Alexandre de Moraes, afirmou que a nova regra deve retirar cerca de 100 mil caminhões pequenos de circulação por dia

Certificação operacional atesta qualidade de sete aeroportos da Infraero
Falta de crédito e competição com carros zero quilômetro prejudicam usados
Falhas de pilotos e controladores de vôo resultaram em acidente da Gol

SÃO PAULO – A nova regra de circulação dos caminhões pequenos na cidade de São Paulo, que libera a circulação das 10h às 16h e das 21h às 5h, deixou os motoristas confusos. Motivo: nos últimos 60 dias, várias restrições foram impostas aos caminhões e há dúvidas sobre algumas delas. São considerados caminhões pequenos aqueles com até 6 metros de comprimentos, denominados Veículos Urbanos de Cargas (VUCs) na legislação da capital.

Além do horário, os caminhões devem seguir um rodízio por final da placa válido de segunda a sábado. se a data do mês é ímpar só rodam os veículos com placa ímpar, e as placas pares no dia de final par. Este rodízio vigora dentro do centro expandido da cidade.

Independentemente do tamanho, os caminhões devem cumprir ainda o rodízio das marginais e vias do anel viário da cidade. É o mesmo que vale para os carros, das 7h às 10h e das 17h às 20h, que segue também o último número das placas.

No primeiro dia com a nova regra, alguns motoristas desavisados circulavam pela área de restrição.

– Cheguei de Jundiaí às 7h e meu chefe não me falou dessa nova lei. Vou avisá-lo – contou o motorista Wesley Refundine, 25 anos.

Por volta das 9h ele dirigia um VUC pela Avenida Paulista despreocupado com a fiscalização dos agentes da CET. 

O secretário municipal de Transportes, Alexandre de Moraes, afirmou que a nova regra deve retirar cerca de 100 mil caminhões pequenos de circulação por dia.

– Já apresentamos uma média de até 39% de melhoria na fluidez do trânsito, o que demonstra o acerto das medidas – afirmou.

A Associação Nacional de Transporte de Carga e Logística entrou com uma ação na Justiça para tentar derrubar o rodízio de caminhões nas marginais.

– É arbitrário restringir o trânsito de passagem. Sugeri que as empresas aumentem o frete em 15%, não vamos ficar com a conta – disse o presidente da associação, Flávio Benatti.

Ninguém mais sabe em qual dia se pode rodar

O motorista Laércio Rigolo, de 48 anos, se confundiu com as regras para a restrição de VUCs e foi multado nesta sexta quando circulava na Avenida Henrique Shaumann, Jardim Paulista, na Zona Oeste de São Paulo.

– Tá difícil para entender, por que foi dito o seguinte: segunda-feira é dois então roda placa par – explicou.

Ao saber que o veículo poderia circular somente das 10h às 16h e deveria seguir dias pares e ímpares ele respondeu.

– Ninguém sabe mais qual dia é que pode rodar o caminhão, vai ter que ligar para o prefeito para saber se pode rodar ou não.

A Secretaria Municipal de Transportes diz que a lei vem sendo divulgada há quatro meses. O caminhão VUC que Laércio dirige presta serviços para uma empresa de telefonia.

– Alguns dias trabalhamos à noite para respeitar o rodízio, mas é arriscado – afirmou Laércio.

Outros motoristas acordaram mais cedo para não atrasar a entrega.

– Por volta das 5h cheguei aqui no restaurante, agora vou esperar até as 10h para poder rodar – disse Valmir Barros Mendonça, de 51 anos, que às 9h20 fazia entrega de bebidas na Rua Peixoto Gomide, no Jardim Paulista. Ele disse que a empresa onde trabalha decidiu terceirizar algumas entregas.

– Eles contrataram uma empresa que roda com vans e peruas para circular no centro, eu vou fazer entregas onde não há restrição – afirmou.

COMMENTS